17 de nov de 2009

O tempo...

Acordei-me de um sonho. E senti teu suave aroma de pele, que se enfurna em minhas narinas e toma forma em minha mente. Fitei teu rosto aos poucos enquanto lentamente abria os olhos, e percebi que acordara. O sonho, repentinamente me fugiu à memória, deixando poucos rastros de imagens de outrora. Senti-me feliz e radiante, por mais uma vez ter você ao meu lado. Carinhosamente afago tua pele macia, e sinto um desejo de congelar o tempo nesse instante para sempre. Naquele momento percebo que também acordavas... Teus olhos buscam um lugar para fixarem-se, e subitamente encontram os meus.
Minha mão aos poucos se afasta de tua face e toca teu abdômen, e meus lábios instintivamente aproximam-se dos teus. Então, meu desejo se realiza!
Naquele momento só percebo nós dois ali, unidos em um só corpo. Meus olhos lentamente se fecham e teu beijo traz de volta o que sumira de meu sonho poucos instantes atrás. A cada toque de tua língua uma parte da realidade se afasta mais e mais, e o tempo começa se afastar de nós.
Abraçar-te e sentir teu corpo me faz esquecer o mundo lá fora, e tudo parece tão calmo e pacífico.
No sonho, eu vi cada momento que passamos juntos até agora. Os risos, abraços, carícias, mordidas, beijos, toques, olhares, sensações, desejos, prazeres...
De repente acordo! Uma sutil euforia misturada à desilusão tomam conta de mim, ao passo que percebo que tudo não era real, que também era sonho. Nesse instante, rapidamente abro os olhos e procuro-te ao meu lado. Um medo repentino de não sentir-te toma conta de mim.
Mais alguns segundos e o medo desaparece, porque você está ali, adormecida. O movimento de teus olhos denuncia: você está sonhando. E então me pergunto o que você está vendo, se é comigo que você sonha... Meu desejo é que isto seja verdade, que você pense realmente em mim, que também sinta-se segura comigo. Meus lábios inferiores se dobram e alinham-se em diagonal, abaixo de meus dentes... Tenho vontade de sentir-te em minha boca, mas evito acordar-te. Reservo-me e fico ali, contemplando tua face. Sinto-me seguro e a certeza de que te amo me acalma. E assim, o tempo lá fora passa, sem que eu perceba. Acho que não importa se é real ou não o que meus sentidos detectam. De qualquer forma, o tempo desaparece quando estou contigo...
Resta somente algumas perguntas em meu pensar: até quando isso vai durar? Será que meu amor por ti é correspondido? Conseguirá um jovem bobo e romântico como eu curar as feridas em que teu coração desesperadamente agoniza?
Ao que tudo parece, meu amor é forte e vencerá. Ironicamente, só uma coisa irá sanar estas dúvidas: O TEMPO!

Um comentário:

Vivian Dias disse...

Um coração ferido de mais, torna-se inseguro. Seus dias são apenas cinzas...E não o cinza belo dos dias de inverno que traz ares de romance. Mas sim aqueles cinzas que lembram vazio. Solidão...
Um coração que agoniza em silêncio perde a esperança de cura...
E esse mesmo coração triste quando é invadido do nada por sentimentos vivos e bons...Assusta-se...Embora lute para se refazer novamente.
Esse caminho se torna complexo. Como crer naquilo que não consegue controlar?
O abstrato dos sentimentos não nos permite mapea-los por completo. Não há como segura-los quando devem serem presos... e nem como solta-los quando necessitam de liberdade...
So podemos senti-los e vive-los...Na expectativa de estarmos fazendo o certo...
O tempo traz as respostas. Mas o caminho percorrido para acha-las é tão longo...

Foi aí que voce trouxe cor para meus dias.Justamente com teu jeito romantico de ser...Tornando tudo mais suave...mais doce...mais intenso...mais verdadeiro...

:-)